Tratamento de distúrbios da micção

 

A fisioterapia tem o intuito de prevenir e tratar de forma conservadora, por meio de recursos e técnicas fisioterapêuticas, as disfunções miccionais e pélvicas feminina, masculina e infantil, com o objetivo de melhorar os sintomas urinários e pélvicos, acerca de informação sobre a patologia e melhora na qualidade-de-vida de cada paciente.

As disfunções miccionais são caracterizadas pela presença de sintomas como perda involuntária de urina,  urgência miccional, aumento da frequência urinária diurna e noturna e dificuldade em esvaziar a bexiga.

Esses sintomas, na maioria das vezes, estão relacionados a distúrbios da musculatura do assoalho pélvico ou da função da bexiga e a hábitos urinários inadequados. Estes distúrbios podem atingir homens e mulheres em todas as fases da vida, da infância a velhice. 

Na infância, a enurese, ou a perda de urina durante o sono, é o sintoma mais comum encontrado. No caso de mulheres adultas, a maior chance de desenvolver disfunções miccionais está relacionada com a anatomia do trato urinário feminino e possíveis consequências decorrentes da gravidez, parto e menopausa, além de alterações posturais que podem diminuir a eficiência de contração dos músculos responsáveis pela continência.

Já os homens podem apresentar incontinência urinária como resultado  cirurgias de próstata (prostatectomia radical). E, tanto  homens como mulheres, podem apresentar sintomas urinários devido a defeitos congênitos ou a problemas neurológicos. 

 A fisioterapia tem um papel importante no tratamento das disfunções miccionais e dos músculos do assoalho pélvico, pois promove o reequilíbrio muscular pélvico, a adequação dos hábitos urinários e consequentemente melhora os sintomas.

 Para determinar a melhor conduta é necessário uma avaliação fisioterapêutica minuciosa, a qual possibilitará o desenvolvimento de um programa personalizado de acordo com as necessidades do paciente.